Traineiras de Xochimilco: conheça a Veneza mexicana

Com certeza, ao falarem sobre o México, devem ter mencionado que as traineiras de Xochimilco são a Veneza mexicana, certo? Porém, os barcos vão além dessa comparação, sendo considerada pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) um Patrimônio Cultural da Humanidade, em 1987.

Estes “barquinhos” são coloridos, com música, comida, bebidas e muitas pessoas fazem comemorações passeando por eles, tornando- se um dos mais tradicionais passeios que os turistas fazem quando vão ao México. Ficou curioso para saber mais sobre as traineiras? Venha ler este texto!

História do lago de Xochimilco

Xochimilco já foi habitada pelos astecas antes da chegada dos espanhóis ao país, e dispõe de uma extensa rede de canais do Lago Xochimilco —  lago Texcoco, o lago Zumpango, o lago Xaltocan e o lago Chalco, totalizando 190 km de canais. Além disso, possui também as chinampas, canteiros flutuantes construídos de madeira que alimentavam a população nativa e hoje servem para cultivo de plantas e flores carnívoras.

A Cidade do México foi construída em cima de uma lagoa de 3 mil m² de água salgada, porém, uma parte é água doce, que fica localizada em Xochimilco. No início, o lago era o principal fornecedor de hortaliças no sul da Cidade do México devido às suas fazendas na superfície, que também fazem parte da imagem emblemática da cultura e tradição indígena do lago. 

Não é à toa que os barcos de Xochimilco e o local são cheios de flores, já que a palavra significa “local de cultivo de flores”. Entretanto, as flores não são para decorar, e sim, para uso medicinal natural. 

As cores dos barcos também têm significado para os povos indígenas: vermelho representa união, azul é a proteção de Deus — Deus de água e de céu, e amarelo que é o comércio. 

Passeio nas traineiras

O bairro de Xochimilco fica localizado na Cidade do México, uma distância de cerca de 20 km entre os dois locais. Além disso, fica próximo ao bairro de Coyoacán — onde se encontra o Museu da Frida Kahlo. O ponto turístico mais forte na região são as traineiras, levando milhares de turistas ao local. 

Para chegar até lá, o turista pode ir de táxi, carro de aplicativo ou metrô. Para ir de metrô, é preciso ir até a  linha 2 (azul) e descer na Estação Tasqueña. Logo após, é necessário pegar o trem ligeiro. 

A traineira é um barco de madeira colorido e tem capacidade para 15/20 pessoas. Os turistas escolhem se irão fazer refeições e ter os famosos cantores de mariachis acompanhando durante o trajeto, para incrementar o passeio. 

Há pessoas, inclusive, que escolhem fazer comemoração de casamento nas traineiras. A viagem custa em torno de 500 pesos — R$ 127,00, e o turista escolhe quanto tempo irá durar o passeio. O valor cobrado é pela traineira, então quanto mais pessoas fazem o trajeto, menor fica o valor para cada pessoa.

O nome traineiras — ou trajineras em espanhol significa o movimento dos barcos de levar e trazer de volta os turistas. Todos os barcos têm nome de mulheres, que normalmente são homenagens às esposas ou filhas dos condutores. 

Durante o trajeto, há alguns vendedores que comercializam objetos para os turistas levarem de recordação. 

Conhecendo o bairro

Após a viagem pelas traineiras, é possível também andar pela região, onde há um mercado local — Embarcadero Nuevo Nativitas Xochimilco —  que seria um misto de feira,

floricultura e lanchonetes com comidas típicas. Além disso, também é possível conhecer lojas que vendem artesanatos tradicionais, com muitas cores e significados. Podendo levar diversas lembranças para pessoas queridas. 

O passeio pela região pode ser feito a pé ou por uma inusitada charrete puxada por uma bicicleta.  

Caso a pessoa queira prolongar o programa, também é possível ir até Coyoacán, que abriga o Museu da Frida Kahlo, como citado acima, e o Museu de Diego Rivera, seu marido. A distância entre um bairro e outro é 14 km, ou 1 hora.

Gostou de conhecer sobre as famosas traineiras mexicanas? Continue lendo as matérias do Exclamación para saber mais sobre a cultura dos países latino-americanos.

Autor: Beatriz Gouvêa

Jornalista de formação e amante da cultura hispana desde criança. Passo a maior parte do tempo escutando música em espanhol e amo tudo o que envolve o universo latino.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s