A literatura hispânica no Nobel

Os livros hispânicos sempre estiveram presentes — mesmo não sendo reconhecidos — na literatura mundial. 

Atualmente, livros escritos por autores latino-americanos já são mais conhecidos em outros países, porém no Nobel de Literatura ainda são muito poucos os escritores que receberam um prêmio.

Para saber mais sobre os vencedores hispanos no Nobel de Literatura, continue lendo esse artigo!  

O que é o Nobel de Literatura? 

O Nobel de Literatura é uma premiação criada pela Academia Sueca, que ocorre desde 1901 e premia escritores de diversos países anualmente. O prêmio foi criado em homenagem ao industrial sueco Alfred Nobel.

No testamento do químico, havia a indicação para a criação de uma fundação que premiasse anualmente as pessoas que mais tivessem contribuído para o desenvolvimento da Humanidade. 

Em 1900, então, foi criada a Fundação Nobel que atribuía cinco prémios em áreas distintas: Química, Física, Medicina, Literatura — atribuídos por especialistas suecos — e Paz Mundial, atribuído por uma comissão do parlamento norueguês.

De acordo com Nobel, o prêmio seria voltado “ao campo da literatura, o trabalho mais notável em uma direção ideal”.

O processo de escolha dos vencedores acontece por meio de pedidos e indicações de candidatos ao Prêmio Nobel de Literatura. 

Os membros da Academia, membros de academias de literatura e sociedades, professores de literatura e linguagem, ex-laureados do Nobel em Literatura e os presidentes de associações literárias têm permissão para nomear um candidato, não sendo permitido nomear a si mesmo.

Inicialmente são diversas inscrições feitas, sendo escolhidos vinte candidatos. Posteriormente, cinco concorrentes são selecionados.

Daí em diante, as obras desses escritores são analisadas. Em seguida, os membros da Academia votam e o candidato que recebe mais da metade dos votos é nomeado o ganhador do Prêmio Nobel de Literatura. 

Os vencedores recebem uma medalha de ouro, um diploma com uma citação e uma quantia em dinheiro.

Escritores latino-americanos que já receberam um Nobel

Nesses 120 anos de Nobel de Literatura, apenas seis autores latino-americanos venceram a premiação, sendo eles:

  • Gabriela Mistral (1945);
  • Miguel Ángel Asturias (1967);
  • Pablo Neruda (1971);
  • Gabriel García Márquez (1982);
  • Octavio Paz (1990);
  • Mario Vargas Llosa (2010).

A literatura em espanhol está em evidência há anos graças aos autores citados acima e também por outros escritores, que mostram a importância de ler e escrever histórias com contextos diferentes, formas de escrita diversas, o que serve também para conhecer outra sociedade  — fora do eixo Estados Unidos e Europa.

Os livros hispânicos são amplos e muito relevantes, não só na América Latina, mas também no mundo. Neles, são contadas histórias sobre vivências e lugares que remetem especificamente à cultura latino-americana, até com algumas peculiaridades de cada região.

Por que essa literatura ainda é tão pouco reconhecida no Nobel?

Essa pergunta é muito complexa, já que há séculos os escritores hispânicos oferecem uma contribuição enorme para o mundo literário. Inclusive, o espanhol é um dos idiomas mais falados no mundo.

Ainda que sejam apenas seis escritores latino-americanos vencedores do Nobel de Literatura, é preciso saber que desde antes, mas sobretudo, após o boom latino-americano a literatura hispânica trouxe técnicas muito pouco vistas em outros lugares do mundo, como o realismo mágico, usado diversas vezes por Gabriel García Márquez, por exemplo. 

Dessa forma, os autores vão se reinventando, abordando questões pertinentes para o continente como violência de Estado, imigração e temas relacionados à sociedade latina.  

Outro assunto que também pode ser mencionado aqui é a questão de que apenas uma mulher latino-americana venceu o Prêmio Nobel de Literatura. 

Sabemos que a questão de gênero ainda é muito discutida, que mesmo nos dias de hoje, mulheres são pouco “aceitas” em vários ambientes, inclusive na literatura. Porém, há várias escritoras latino-americanas extremamente marcantes. 

Um exemplo é a chilena Isabel Allende. Uma de suas principais obras, “A Casa de Espíritos”, é considerada um clássico da literatura hispana. Entretanto, Isabel é uma das inúmeras escritoras ignoradas pela premiação.

A impressão que fica é que assim como em outros aspectos relacionados à cultura latino-americana, a literatura ainda é vista com certo preconceito pelos avaliadores do Prêmio Nobel, que se recusam a ampliar seus horizontes e aceitar que histórias escritas na nossa região são marcas de resistência e carregam consigo conhecimento histórico sobre o que já aconteceu nesses países.

Agora, você que está lendo deve estar pensando “tá, e o que pode ser melhorado daqui pra frente para os autores hispanos terem maior reconhecimento?”

   E algumas resoluções podem ser:

  • Diversificar os jurados, incluindo pessoas que sejam da região do sul global;
  • Integrar mais mulheres no corpo de jurados; 
  • Incentivar mais pessoas a lerem autores diferentes — acrescentando na lista livros escritos por latino-americanos;

Bom, essas são apenas algumas ideias para que esses autores sejam mais conhecidos e que a literatura deles chegue ao maior número de leitores possível.

Para saber outras curiosidades de países que falam espanhol, continue lendo o Exclamación!

Autor: Beatriz Gouvêa

Jornalista de formação e amante da cultura hispana desde criança. Passo a maior parte do tempo escutando música em espanhol e amo tudo o que envolve o universo latino.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s